CakePHP 3: instalação via Composer no Ubuntu 14.04 LTS

Este post têm como objetivo, apresentar o processo de instalação do CakePHP 3 através do Composer, no sistema operacional Ubuntu 14.04 LTS.

Segundo wikipedia, CakePHP é um framework escrito em PHP que tem como principais objetivos oferecer uma estrutura que possibilite aos programadores de PHP de todos os níveis desenvolverem aplicações robustas rapidamente, sem perder flexibilidade. O Cake-PHP utiliza conceitos de engenharia de software e padrões de projeto bem-conhecidos, tais como ActiveRecord, Association Data Mapping, Convenção sobre configuração, Front Controller e MVC (Model-View-Controller).

Requisitos mínimos
– Servidor HTTP, ex.: Apache. Preferencialmente com “mod_rewrite” habilitado;
– PHP 5.4.16 ou superior;
– Extensões habilitadas: “mbstring” e “intl”.

Bancos de dados suportados

  • MySQL (5.1.10 or greater)
  • PostgreSQL
  • Microsoft SQL Server (2008 or higher)
  • SQLite 3

PS: o cakephp não depende de um banco de dados para funcionar.

Instalação do CakePHP 3 via Composer
Embora exista outros métodos de instalação o CakePHP, o método de padrão (oficial) é através do Composer, uma ferramenta de gerenciamento de dependência para PHP 5.3.

Para quem ainda não têm o cURL instalado, abra o Terminal (Ctrl+Alt+T) e execute o seguinte comando:

e depois, reinicie o apache:

Para quem ainda não têm o Composer instalado, abra o Terminal (Ctrl+Alt+T) e execute o seguinte comando:

Ou, baixe o composer.phar do Site Oficial do Composer.

Agora que já temos o Composer instalado, podemos criar uma nova aplicação do CakePHP executando o comando:

Ou se o Composer estiver instalado globalmente:

Referências bibliográficas
CakePHP Cookbook 3.x documentation. Disponível em: <http://book.cakephp.org/3.0/en/index.html>. Acesso em 12 de outubro de 2015.
Composer documentation. Disponível em: <https://getcomposer.org/doc/>. Acesso em 12 de outubro de 2015.
CakePHP – Wikipédia, a enciclopédia livre. Disponível em <https://pt.wikipedia.org/wiki/CakePHP>. Acesso em 12 outubro de 2015.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *